top of page

Como estar no presente

Por Mariana Klinke


Quantas vezes você já se pegou fazendo planos para o futuro ou recordando o passado?

E o presente? Onde fica o tempo presente enquanto você devaneia? Pois é. Muitas vezes

o que nos impede de atingir nossos objetivos (dos pequenos aos grandes) é o fato de que

gastamos mais tempo sonhando com o que poderíamos ser, ter ou fazer ao invés de estar

de fato no aqui e agora.



Uma forma de se conectar com o presente é prestar atenção. Andamos pela cidade,

pegamos ônibus, metrô, sentamos para comer, tomar café, fazemos compras no

mercado... tudo isso sem realmente prestar atenção no que estamos fazendo. Há quanto

tempo você não senta para comer sua comida favorita sem ficar ao mesmo tempo

trocando mensagens no WhatsApp, checando o Instagram ou o Facebook? Eu, por

exemplo, não me lembro.


Na última semana, fui ao show da minha musa-diva-quero-ser-amiga Laura Pausini e lá

ela falou justamente sobre isso: todos temos defeitos e qualidades, mas hoje somos

perfeitos do jeito que somos. Basta que a gente viva esse momento presente.

Mas como se conectar com o presente?



Apesar de ter problemas com meditação (ela me deixa ansiosa), preciso dizer que um

pequeno exercício do aplicativo "Stop, Breathe & Think"

(https://app.stopbreathethink.org/) é o que tem me salvado nos últimos tempos. Ele se

chama “Engaging Your Senses” (Conecte Seus Sentidos).


O EXERCÍCIO

Então vamos lá! Onde quer que você esteja, sente e foque sua atenção no entorno. Olhe

em volta e repare no que você vê. Observe as variedades de cores, formas e texturas do

que você vê.


Agora foque sua visão em uma coisa e olhe para ela cuidadosamente. Tente examinar

detalhes específicos sem ter uma opinião sobre essa coisa. Analise o tamanho e o

formato, a cor e a textura dela.


Agora foque sua atenção nos sons. Conforme você ouve, tente fechar os olhos e apena

note o que você ouve. Ouça os sons mais baixos, inclusive o silêncio. Ouça os sons mais

altos. Tente ouvir apenas um som. De onde ele vem? Como você o descreveria? Tente

observar o som sem ter uma opinião sobre ele.


Agora foque sua atenção no olfato. Que cheiro você sente? Quantos odores diferentes

você pode detectar? Escolha um deles e o examine. Como você o descreveria? É forte

ou fraco? Doce ou amargo? O que mais você pode dizer sobre esse cheiro?


Agora foque sua atenção no paladar. Imagine sua comida favorita e o gosto dela.

Descreva o sabor e a textura dela. Note como seu corpo se comporta ao pensar nisso.

Pense na sua língua. Você sente o gosto de algo? É doce, amargo, azedo ou salgado?

Tente observar o gosto na sua boca sem ter uma opinião sobre ele.


Agora foque sua atenção no tato. Toque o chão com a ponta dos seus dedos. Perceba

quantas texturas diferentes existem. Escolha uma coisa para tocar. Qual é a sensação?

Analise o tamanho, a textura, o formato e a temperatura dela. O que mais você pode

dizer sobre as sensações que ela causa? Tente examinar sem expressar uma opinião

sobre o que você toca.


Quando terminar, volte sua atenção para a respiração, para o ar entrando e saindo do seu

corpo. Permaneça focada na respiração o tempo que achar necessário e, quando estiver

pronta, encerre o exercício.


#FicaDica: “Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ONTEM e o outro se chama AMANHÃ, portanto HOJE é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver”. – Dalai Lama


67 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page