Como ser feliz?

Por Mariana Klinke


Essa com certeza é uma das principais perguntas que quase todos (senão todos) os seres humanos deste planeta azul já se fizeram. O meu amigo-escritor Fred é um desses seres humanos. A diferença é que o Fred não apenas se fez essa pergunta, mas também foi atrás de uma resposta.



O Fred e a esposa Karin dedicaram um ano de suas vidas para investigar o que é essa tal Felicidade que tanto buscamos. Foi assim que nasceu o Glück Project, um site independente que reúne depoimentos pessoais, pesquisas e entrevistas com filósofos, médicos, psicólogos, líderes religiosos e pessoas comuns, sempre buscando a resposta para: Como ser feliz?


E como todo mundo quer ser/estar feliz, é claro que o Glück fez sucesso. Tanto que virou

livro, o Glück – O que um ano sabático nos ensinou sobre a felicidade. À primeira vista, o título e as malas da capa podem dar a impressão de que a felicidade está condicionada a “largar tudo” ou ir morar em outro país. Não se deixe levar por isso. Glück está muito (mas muito mesmo) além disso.


O texto leve, hora escrito por Fred, hora por Karin, mescla a rotina do casal com a investigação jornalística sobre a felicidade. O encontro da experiência pessoal dos dois, nesse ano em que largaram seus empregos e foram morar em Berlim, com pesquisas e dados científicos foi um casamento perfeito para chamar os leitores à reflexão, sem ser didático ou chato.


No Glück, você vai encontrar resposta para vááááárias perguntas. Dinheiro traz felicidade? Dá pra ser feliz no trabalho? Dá pra ser feliz mesmo quando tudo dá errado? E também tem dicas para programar seu cérebro e ensiná-lo a ser mais feliz. Um dos exercícios proposto por especialistas que eu encontrei tanto no Glück, quanto em outros livros do gênero, é o exercício da gratidão.


NA PRÁTICA

Durante o dia, sempre que alguma coisa boa acontecer com você, pegue um pedaço de papel, anote e guarde. No fim de cada dia, você terá uma lista de coisas bacanas para ser gratx e, além disso, terá treinado seu cérebro para reconhecer e criar um padrão positivo na hora de analisar os acontecimentos do cotidiano. Seu cérebro vai passar a reconhecer os acontecimentos positivos como a principal informação a ser notada e registrada no seu dia. É como o processo de ganhar músculos na academia: tem que exercitar!


Outra opção de exercício é sentar à noite e fazer uma lista de cinco coisas que aconteceram no seu dia e pelas quais você é gratx. Vale o Dadinho que você comeu depois do almoço (sou apaixonada por Dadinho, então para mim esse é um momento apoteótico do dia). Também vale ter chegado em casa cinco minutos mais cedo. Ou então aquele amigo que você não via faz tempo e encontrou por acaso. E claro que vale um elogio do chefe ou um aumento de salário. O que eu quero dizer é que não existe tamanho, valor ou escala de importância para acontecimentos que te deixam alegre.


Quer saber o que mais pode te fazer feliz? Leia Glück – O que um ano sabático nos ensinou sobre a felicidade. Você não vai se arrepender. Eu garanto! (Devorei o livro em 2 dias!)

#FicaDica: Glück – O que um ano sabático nos ensinou sobre a felicidade

Karin Hueck e Fred Di Giacomo; Editora BestSeller (Grupo Editorial Record)

www.gluckproject.com.br

92 visualizações1 comentário