Como usar a criatividade para viver melhor!

Atualizado: 20 de Jul de 2018

Por Mariana Klinke


Em 2013, nove anos após deixar a universidade e entrar no mercado de trabalho, senti que havia chegado o momento de voltar a estudar. Depois de viver muito tempo na rotina intensa de roteirista de reality shows, criei coragem e, em fevereiro de 2013, dei um tempo de tudo e me arrisquei num laboratório de escritores da Universidade da Califórnia (UCLA). A ideia principal era estimular minha criatividade e por isso escolhi o curso Unlocking the Writer Within (Desbloqueando o Escritor Interno). E foi nesse curso que eu conheci o transformador EXERCÍCIO DA ESCRITA LIVRE.


Mas o que seria um EXERCÍCIO DE ESCRITA LIVRE? Bom, para realizar esse exercício, tudo o que você precisa fazer é colocar a caneta no papel e escrever, escrever e escrever. Sem parar. Sem planejar. Apenas escrever. Pode ser por um tempo determinado (10 minutos, por exemplo) ou por um certo número de páginas (3 páginas). E tem que ser à mão. Nada de computador. A escrita à mão faz você trabalhar partes do cérebro que o apertar de teclas não alcança. (https://www.hypeness.com.br/2016/09/especialistas-afirmam-que-escrever-a-mao-ajuda-a-desenvolver-o-cerebro/ )


E daí você me pergunta: mas por que você está falando sobre isso, Mariana? Porque nesse curso percebi que as páginas com escritas livres faziam uma faxina no meu cérebro. Quanto mais eu as praticava, mais ideias surgiam (não necessariamente nelas, mas minha cabeça se sentia mais “limpa” para criar. Era como limpar um HD ou o álbum de fotos do celular, sabe?).



Continuei praticando isso para sempre? Claro que não. Foi um erro? UM ERRO. GIGANTE. EM CAPS LOCK. Por quê? Porque elas realmente funcionam. E eu só entendi isso agora.


No início desse ano, sofri novamente com um bloqueio criativo. Por diversas razões, incluindo um coração partido e uma forte estafa mental, eu olhava para a página em branco e não conseguia escrever nada. Foi horrível. E no meio dessa angústia, num jantar antes de assistir ao Balé no Gelo de São Petersburgo, recebi uma indicação preciosa de uma grande

amiga: o livro O Caminho do Artista, de Julia Cameron (https://www.instagram.com/p/BjgI4GjBSBx/?taken-by=mariklinke ). É um livro sobre escrita, um programa de 12 semanas para desbloquear a criatividade. E adivinha qual foi a primeira tarefa que encontrei lá? ESCRITA LIVRE.



Na verdade, nesse livro, o exercício recebeu o nome de PÁGINAS MATINAIS. E o que isso significa? Significa que essas páginas têm que ser escritas pela manhã, ao acordar. De resto, basta pegar caneta ou lápis e escrever qualquer coisa (qualquer coisa mesmo!) que venha à sua mente. Só não vale reler depois que terminar. Acabou, guarde as folhas num envelope ou, se usar um caderno, vire as páginas e não volte a elas antes de 8 semanas. Isso previne que você leia o que escreveu e comece com críticas negativas sobre si mesmo (o que não ajuda em nada a limpar o cérebro de bloqueios).


A ideia de escrever pela manhã é varrer do seu cérebro todos os pensamentos que invadem sua cabeça assim que acorda, e que criam um obstáculo entre você e sua criatividade. Contas a pagar, abastecer o carro, a roupa para lavar, a consulta no dentista, a briga com o namorado, um comentário desagradável da sua amiga... Coloca no papel. E então comece o dia.



As página