Como viver várias vidas em uma

Por Mariana Klinke


Dizem que os escritores vivem várias vidas em uma só, através das histórias de seus personagens. Segundo o escritor George R. R. Martin, ler também é uma forma de viver muitas outras vidas. “Um leitor vive mil vidas antes de morrer, o homem que nunca lê vive apenas uma”. Eu concordo 100% com Martin. Mas estava pensando... E se a gente tirasse essas vidas imaginárias do papel? Se você tivesse sete vidas, como os gatos, o que faria em cada uma delas?



Em mais um exercício criativo (adaptado do maravilhoso livro O Caminho do Artista, de Julia Cameron – citado na coluna anterior), eu me desafiei e escolhi sete profissões que teria se não fosse escritora/roteirista. Eis o resultado:


1. Astronauta

2. Fazedora de chás e bolinhos

3. Cantora

4. Dona de vinícola / Produtora de vinhos

5. Chef de cozinha

6. Florista

7. Terapeuta (Psicóloga / Psicanalista)

Planetário do Ibirapuera (Foto: Mariana Klinke)

Então, dessas sete, eu escolhi viver uma: ASTRONAUTA (Sim. Você pode não acreditar, mas existe uma amante da ciência dentro dessa escritora que vos fala. Alguém que gosta de olhar as estrelas e a Lua; que já sonhou várias noites que estava a bordo de um ônibus espacial, rumo a Saturno, para escorregar em seus anéis; e que fazia parte do grupo de Ciências no colégio, onde passava horas discutindo o que era o monólito de 2001 – Uma Odisseia no Espaço).

Foto: Nasa

Mas como tirar do papel a ideia de ser um astronauta? Indo até a NASA? Claro que não. Basta usar a criatividade e a imaginação. Foi assim que acabei no Planetário Professor Aristóteles Orsini, o Planetário do Parque do Ibirapuera. E foi incrível!


Assisti à apresentação Olhar o Céu de São Paulo Outra Vez, que mostrava a posição das estrelas no céu em 26 de janeiro de 1957, quando o Planetário foi inaugurado. É muito lindo ver quantos corpos celestes se escondem atrás da poluição luminosa e gasosa da cidade de São Paulo. Planetas, constelações (incluindo as do zodíaco!), e uma chuva de meteoros fazem o queixo de crianças e adultos caírem.


Confesso que escorreram umas lagriminhas quando a sala escureceu e o projetor encheu tudo de estrelas. Emocionada. Arrepiada. Apaixonada. Foi como estar flutuando no espaço mesmo. Poderia ficar ali para sempre...


Agora é a sua vez! Faça uma lista das suas sete vidas e, então, busque uma forma de torna-las reais (nem que seja por uma hora, como eu fiz no Planetário). Quer ser cantor? Por que não fazer algumas aulas de canto? Ou ir a um karaokê? Ou você prefere ser fotógrafo? Então pegue o celular ou uma câmera, escolha um tema, e saia fotografando! Ou se tiver uma graninha sobrando, que tal tentar um curso de fotografia?



Manter uma rotina é importante. E quebrá-la de vez em quando é essencial. É a sua chance de viver novas experiências, adquirir conhecimentos e despertar habilidades escondidas (ou abandonadas no estresse do dia-a-dia).


Esse exercício vai te ajudar a se olhar e se ouvir. Garanto que assim vai ficar bem mais fácil lidar com os problemas que cruzarem seu caminho. Pode acreditar. ;)


Você pode acessar a programação do Planetário aqui: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/meio_ambiente/umapaz/planetario_ibirapuera/programacao/index.php?p=228020


As entradas custam 8 reais (inteira) e 4 reais (meia) e podem ser adquiridas direto na bilheteria ou no site da Ticket Fácil: http://www.ticketfacil.com.br/categoria.aspx?parque-do-ibirapuera #Ficadica: as entradas costumam esgotar bem rápido. Então, se você quiser muito assistir a uma apresentação, é melhor comprar pela internet.


Obrigada pelo carinho, gente! Quem quiser, segue meu instagram: https://www.instagram.com/mariklinke/

71 visualizações0 comentário